Caminhos cruzados

                                         Sergio Fingermann
 

Há alguns anos, um grupo de pintoras reúne-se semanalmente para desenvolver seus trabalhos e discutir questões que referenciam suas experiências na história da arte: Cristina Canepa, Fátima Moraes, Juracy Giovagnolli, Marina Oliveira Costa, Ninetta Rabner, Renée Franco e Sueli Pinotti.
As questões variam do tema, das narrativas, da construção da linguagem artística, da política da arte e sua inserção no sistema cultural. 
Também são discutidas dificuldades expressivas, o ofício da pintura, suas especificidades, as estratégias para evidenciar a experiência da criação como um acontecimento artístico. 
Este coletivo de pintoras nos mostra uma diversidade de abordagens da pintura, com referências muito variadas.
O que esta exposição evidencia é uma aposta nas potencialidades da pintura, na contemplação, na discussão da beleza, na transcendência, na expressão que traduza uma certa noção de autenticidade, de singularidade.
Essas artistas acreditam que a marca é um valor. 
A construção de uma narrativa lírica traz a identidade de quem a faz.